sábado, 5 de fevereiro de 2011

ANGÚSTIA


 
 
Ah! Hiperestésica alma!
A induzir-me às ausências
Fazendo-me cega nas noites
A ouvir coisas que bem sei
Não caberiam a mim sabê-las
...
Melhor seriam
Eternamente ocultas
Que arrostando-me
Com o dedo no gatilho
Nessa angústia
Como a andar sobre os trilhos
Aguardando o impacto
Do já cansado estribilho!

(TACIANA VALENÇA)

Um comentário:

  1. GOSTEI DE APRECIAR TEU INSTIGANTE POEMA... APLAUSOS MIL!!
    BEIJO!

    PEDRO CAMPOS

    ResponderExcluir